O cancro é uma doença genética que resulta da ocorrência de mutações nas células. As células cancerosas podem localizar-se apenas num local ou espalhar-se pelo organismo (metástase).

     Um estudo feito na Rush University Medical Center  concluiu que a presença de álcool estimula a transição epitelial-mesenquimal (fig.1) uma vez que as células com álcool perdem a adesão às restantes (1) (2).

Figura 1 - Transição epitelial-mesenquimal

     A transição epitelial-mesenquimal (EMT) caracteriza-se, tal com ilustrado na figura 1, pela perda de adesão celular (célula a amarelo), seguindo-se de uma compressão que irá soltar a célula que perdeu a adesão. A célula que se soltou torna-se mais móvel.

     Podemos considerar este mecanismo característico de tumores malignos, uma vez que as células cancerosas libertam-se do tumor e espalham-se pelo organismo (metástase). Deste modo, podemos ver que o álcool pode piorar o estado de saúde de uma pessoa com cancro.

Bibliografia

Autores: Carlos, Carolina, Catarina e Cláudia